A 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A CAMINHO

Publicado em 01/08/2018 10:18h

Senai Novidades

A 4ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A CAMINHO

A chamada Indústria 4.0 - termo que aponta integração entre o mundo físico e o virtual através de tecnologias digitais - deve ser responsável por mudanças significativas no setor industrial nos próximos anos, com impactos expressivos no mercado de trabalho. A era que já é considerada a 4ª Revolução Industrial deve ser responsável por gerar 30 novas profissões nos próximos cinco a dez anos. A projeção é realizada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

A prospecção apontada pelo Senai utilizou metodologia que permite prever as tecnologias que serão utilizadas no mercado de trabalho na próxima década. Segundo o levantamento, oito áreas devem sofrer maior impacto: automotivo; alimentos e bebidas; máquinas e ferramentas; petróleo e gás; têxtil e vestuário; química e petroquímica; tecnologias da informação e comunicação, e construção civil. A influência das tecnologias digitais nessas áreas deve dar destaque a profissões como, por exemplo, analista de internet das coisas, projetista para tecnologias 3D e integrador de sistema de automação predial.

O gerente de serviços tecnológicos do Senai-PA, Danilo Vilar, explica que uma das perspectivas da Indústria 4.0 é a diminuição de determinadas atividades. Porém, segundo ele, isso não significa a geração de desemprego, mas sim de readequações nas atividades profissionais para que atendam às necessidades que essa nova cultura exige. “Em uma periodicidade muito curta, algumas atividades consideradas repetitivas vão deixar de existir porque poderão ser substituídas futuramente por robôs ou maquina rios que podem fazer isso com excelência", considera. "O que deve ocorrer é uma remodelagem da sociedade como um todo e também da indústria. Vão surgir profissões que provavelmente vão exigir que profissional esteja conectado à questão da internet das coisas, big data, sistemas ciber-físicos”.

Seguindo a iniciativa nacional, o Senai no Pará já vem desenvolvendo estratégias, tanto no setor de serviços tecnológicos como de educação profissional, para reconfigurar o setor para a nova linguagem da Indústria 4.0. Como um dos primeiros passos está o diagnóstico de maturidade das empresas, ferramenta através da qual o empresário pode alimentar algumas informações e obter uma leitura de qual o nível de maturidade dele dentro da perspectiva de indústria 4.0. “A ideia das iniciativas que o Senai vem desenvolvendo é que a Indústria 4.0 não seja meramente uma sensibilização, mas realmente o desenvolvimento de uma cultura no Estado”, reforçou Danilo Vilar.

Na área da educação, a capacitação para a Indústria 4.0 é dividida em três grandes motes: a primeira é a ‘Desvendar a Indústria 4.0’, a segunda é ‘Agir 4.0’ e a terceira é ‘Conectar a Indústria 4.0‘. O gerente de educação profissional do Senai-PA, Davis Silva Siqueira aponta que, dentro da primeira fase, estão previstos os cursos ‘Desvendando a Indústria 4.0’, ‘Internet das Coisas’, ‘Big Data’ e o de robótica. “São cursos com previsão de carga horária mínima em torno de 20 a 60 horas cada”, explicou. "O primeiro curso vai ser totalmente gratuito e já está em fase de testes no departamento regional e muito em breve será lançado para todo o Estado”.

Um workshop também está programado para o dia 12 de setembro deste ano, onde são previstas três oficinas relacionadas com a Indústria 4.0.


OCUPAÇÕES QUE DEVEM SURGIR

CONSTRUÇÃO CIVIL
Integrador de sistema de automação predial;
Técnico de construção seca;
Técnico em automação predial;
Gestor de logística de canteiros de obras;
Instalador de sistema de automação predial.

QUÍMICA E PETROQUÍMICA
Técnico em análises químicas com especialização em análises instrumentais automatizadas;
Técnico especialista no desenvolvimento de produtos poliméricos;
Técnico especialista em reciclagem de produtos poliméricos.

TÊXTIL E VESTUÁRIO
Técnico de projetos de produtos de moda;
Engenheiro em fibras têxteis;
Designer de tecidos avançados.

PETRÓLEO E GÁS
Especialista em técnicas de perfuração;
Especialistas em sismologias e geofísica de poços;
Especialistas para recuperação avançada de petróleo.

AUTOMOTIVO
Mecânico de veículos híbridos: Realiza diagnósticos de motores a combustão interna e/ou elétricos e todas as atividades de manutenções preditiva e preventiva de veículos híbridos;

Mecânico especialista em telemetria: Programa computadores e realiza diagnóstico e reparo em redes eletrônicas.

Programador de unidades de controles eletrônicos: Acessa e reprograma unidades de controle eletrônico por meio de protocolos de comunicação via scanner ou interfaces: diagnostica e analisa dados de testes para sistemas automotivos, subsistemas ou componentes.

Técnico em informática veicular: Inspeciona ou testa partes para determinar a natureza eu a causa de defeitos ou avarias: instala equipamentos para testes, motores ou acessório; customiza funcionalidades do veículo, corrige problemas.

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO
Analista de Internet das Coisas (loT): Desenvolve soluções de sistemas embarcados para sensoriamento: integra hardware e software por meio da internet;

Engenheiro de cibersegurança: Realiza testes e outras ferramentas de cibersegurança para manter a empresa segura contra ameaças internas e externas;

Analista de segurança e defesa digital: Identifica riscos existentes ou em potencial que impactam a segurança de informações: desenvolve controles ou ações para mitigar riscos de segurança de informações;

Especialista em Big Data: Analisa grande quantidade de dados produzidos por equipamentos como sensores para analisar o processo produtivo e orientar tomadas de decisão estratégicas;

Engenheiro de softwares: Profissionais capazes de automatizar, centralizar e otimizar todos os processos de uma fábrica e de sua matriz recorrendo a softwares feitos sob medida (customizados).

ALIMENTOS E BEBIDAS
Técnico em impressão de alimentos;
Especialista em aplicação de TIC para rastreabilidade de alimentos;
Especialista em aplicações de embalagens para alimentos.

MÁQUINAS E FERRAMENTAS
Projetista para tecnologias 3 D;
Operador de High Speed Machine;
Programador de Ferramentas CAD/ CAM/ CAE/ CAI;
Técnico de manutenção em automação.

 

Matéria publicada no jornal Diário do Pará na edição do dia 29 de julho de 2018. 

SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
X